Chi Nei Tsang é a expressão chinesa para massagem dos órgãos internos. Chi significa energia e Nei Tsang significa vísceras.
Para dar uma ideia da sua origem, trata-se de uma modalidade muito antiga com milénios, e de origem Taoista. Os monges nas montanhas ancestrais da China começaram a tradição do Chi Nei Tsang quando descobriram que diversos tipos de bloqueios no corpo interferiam com a sua aspiração de alcançar estados mais elevados de realização durante as suas meditações. Decidiram desenvolver então um tipo de massagem interna que melhorasse o fluxo do Chi nos seus corpos uma vez que o seu objectivo ultimo era atingir um estado superior de atenção meditativa. Actualmente, nas sociedades modernas não é este o motivo que leva alguém a procurar este tipo de massagem mas esta é por alto a sua origem.

Esta massagem trabalha especificamente no abdómen usando a teoria da medicina tradicional chinesa (MTC). A teoria em torno desta técnica foca-se principalmente no facto de que existem órgãos no nosso corpo com responsabilidades diversas na aquisição, criação, transformação, transporte, armazenamento e excreção de substâncias, como o Chi, Xué e JinYe (energia, sangue e líquidos orgânicos) que funcionam de forma interdependente para o equilíbrio das funções das quais são responsáveis. Segundo a MTC estes órgãos são susceptíveis de serem afectados por causas internas e externas e entre estas causas internas estão os humores ou causas emocionais.

Embora estas sejam definições difíceis de entender, certamente encontram-se benefícios nas pessoas que recebem esse tratamento. Então, como podemos entender essa relação em termos fisiológicos?
O feedback recebido geralmente centra-se em dois pólos. A curto prazo, relaxamento e alívio de stress. A longo prazo, função digestiva melhorada.

O Chi Nei Tsang ou massagem abdominal trabalha por um lado directamente no sistema nervoso entérico, ou o chamado “segundo cérebro”. Veja aqui mais acerca do Sistema Nervoso Entérico. Este sistema está intimamente ligado ao cérebro que conhecemos e os dois sistemas interagem e influenciam-se mutuamente. Por outro lado é um trabalho feito também no diafragma, reduzindo a tensão neste importante músculo e ajudando a optimizar o padrão de respiração.
Este trabalho directo é realizado ainda directamente de cada um dos órgãos principais referidos na MTC como responsáveis pelo equilíbrio de cada uma das fases ou elementos. (Madeira, Fogo, Terra, Metal e Água), e desse modo melhorando as suas funções associadas.

De um ponto de vista muito prático, o nosso sistema nervoso simpático sempre foi muito útil nos processos de reacção de fuga ou luta, dotando-nos temporariamente das condições metabólicas e fisiológicas para reagirmos optimamente a uma situação crítica que teria no máximo alguns minutos de duração sendo que no fim, ou escapávamos do perigo ou não.
Porém nos dias de hoje, esse não é o caso. As preocupações e problemas emocionais que gravitam à volta das nossas rotinas, e trabalhos podem estar presentes durante semanas ou meses. A nossa fisiologia não evoluiu para lidar com quantidades anormais de hormonas como o cortisol, a adrenalina e noradrenalina que ficam alojados no organismo por períodos de tempo demasiado longos.
Vários problemas físicos podem então ocorrer, como a obesidade, a propensão para estados inflamatórios e tumores.
A massagem abdominal ajuda mecanicamente à drenagem desses resíduos metabólicos da zona abdominal onde se concentram como “emoções” mal digeridas. Ajuda os órgãos a funcionar melhor por via de uma melhor oxigenação local ao órgão e melhora a conectividade dos terminais nervosos dos nervos eferentes ou motores.